Pastor que afirmava que a Bíblia deve ser atualizada é desligado da Igreja


      Publicidade  



      Publicidade  


Uma coisa que vem acontecendo ultimamente é a ideia de que a Bíblia deve ser atualizada, gerando grande manifestação no mundo evangélico. Tanto pastores como membros leigos da igreja  levantam a  voz contra tal ideia que levou o desligamento do pastor Batista Ed René Kivitz.

Toda essa polêmica surgiu com uma declaração do pastor em uma pregação feita em outubro na Igreja Batista na congregação de Água Branca.  Em sua mensagem ele fala que  “a Bíblia deve ser olhada de um modo diferente, com uma atualização da releitura de vários textos. Além disso,  ele afirma que deve haver o acolhimento de gays”.

Em uma de suas falas diz que a  linguagem de mais de 4 mil anos da Bíblia se torna um problema quando aplicada hoje em dia:  “se a igreja quer ser carta para o mundo devemos atualizar a Bíblia e ter essa coragem de enfrentar os pecados de gêneros de nossa sociedade…e enfrentar a questão da homossexualidade e da homoafetividade e dos gays que frequentam a nossa comunidade”.

      Publicidade  

Essas afirmações estão causando grande problema, não que os gays devam ser deixados de lado, mas por afirmações que a Bíblia discorda como “os gays continuam sendo condenados ao inferno por causa de dois ou três textos bíblicos que não foram atualizados”.


Publicidade


A Bíblia precisa de atualização?

Lembrando que isso não é uma ideia da Igreja Batista, mas do pastor Ed René Kivitz. Por isso, pastores conhecidos, como Silas Malafaia, Augusto Nicodemos, Michelson Borges e tantos outros fizeram vídeos a respeito dessa fala do pastor.

Ed René ainda afirma “que a Bíblia não é um código moral, mas um livro que traz a revelação de Jesus Cristo para um novo mundo”. O questionamento de muito pastores é de que o homem deve mudar, mas a Bíblia não, ela continua sempre atual porque é inspirada, revelação de Deus.

Certamente o problema está na má interpretação da Bíblia e não nela propriamente dita. Se ela condena alguma atitude pecaminosa há uma punição para isso, havia o apedrejamento em alguns casos. O modo de executar a pena pode mudar, mas continua sendo pecado.

O líder da congregação em São José dos Campos, o  pastor Carlito Paes, diz que “quem precisa de atualização é o homem e não a palavra”.  O pastor mostra em sua fala que os problemas humanos que envolve ações pecaminosas dentro da igreja devem ser condenados pela própria palavra pregada. Porém, o erro está em querer rebaixar a Bíblia.

Um problema de aplicação dos textos bíblicos

O que muitos pastores apresentam em suas falas é que a ideia de atualizar a Bíblia mexe na verdade de Deus, deixando princípios de lado.

      Publicidade  

Segundo Pr. Rodrigo Silva,” o princípio não muda, mas modo como ele é aplicado sim,  sem alterar o sua essência”. Ainda afirma que a Bíblia contém princípios eternos, mas ela é histórica, então ela matiza eles em situações específicas locais.

“O grande problema está na confusão, onde se mistura o que é princípio eterno e a aplicação do mesmo em cada situação histórica”. Essa afirmação está em um  podcast no youtuber.

Confira mais assuntos no mundo religioso aqui mesmos em outras postagens.

Deixe seu comentário de fé abaixo

      Publicidade