O novo projeto do Facebook envolve igrejas


      Publicidade  



      Publicidade  


Essa notícia está sendo vista com bons olhos por muitos líderes de igrejas, que veem nessa ideia uma oportunidade de um modelo de assinatura com conteúdo exclusivo.

Muitas igrejas afirmaram diante do New York Times que estavam conversando com o Facebook sobre o objetivo de realizar eventos ao vivo.

Pelo jeito isso vai fluir, porque se de um lado o Facebook busca negociação com igrejas, elas também estão gostando dessa ideia. O resultado disso está sendo uma parceria que conseguirá captar fundos e transmissão de cultos.

      Publicidade  

 


Publicidade


Toda essa estratégia do Facebook é uma nova maneira de ter mais negócios, diversificando, expandindo seu jeito de atuar. “O pastor da mega-igreja Hillsong estava buscando conselhos de como construir uma igreja na pandemia, a resposta veio com o grande veículo de mídia, o Facebook.” (NYT)

Em várias reuniões feitas com a mega-igreja americana, buscaram explorar as melhores formas da igreja crescer na gigante rede social. “Quais aplicativos poderiam ser criados para doações financeiras, o tipo de transmissão ao vivo, como seria a capacidade de vídeo.” (NYT)

O resultado de toda a negociação foi afirmado pela própria Hillsong, que havia feito a parceria e teria seus serviços exclusivos para o Facebook.

Esse novo projeto do Facebook está sendo recebido por várias igrejas, que veem nessa forma de negócio uma nova oportunidade de falar de Jesus ao mundo.

“Essa grande plataforma de mídia social tem expandido parceria com diversas igrejas, tanto as individuais como grande denominações, envolvendo assim igrejas como Assembleia de Deus e a Igreja de Deus em Cristo.”(NYT)

      Publicidade  

Uma nova oportunidade

Desde que surgiu a pandemia, o Facebook percebeu que as igrejas estavam buscando uma nova forma de levar a mensagem da igreja para as casas dos membros. Dessa forma, ela mostrou ser uma plataforma de estratégias para levar orações, pregações e toda forma de mensagem.

Essa atuação da plataforma é para engajar um público comprometido, onde milhões poderão acessar os conteúdos, tanto ao vivo como postagens. “Há um desenvolvimento de produtos novos  a todo momento, onde conteúdos de oração e áudios podem ser compartilhados.”  (NYT)

Embora as igrejas veem com bons olhos toda essa forma de culto online, a era digital veio para trazer muita coisa positiva para a igreja. Porém, líderes religiosos sabem dos limites dos cultos virtuais, embora são importantes, não é o principal veículo de culto.

Infelizmente vários membros deixaram de ir à igreja, acostumados a ficarem em casa na pandemia e assistir culto virtual.

Apesar disso, os líderes religiosos, não somente do mundo cristão, mas do geral, percebem que o Facebook é uma maneira de atingir pessoas que tem uma certa dificuldade de ir aos templos religiosos. Então, por um canal grande de mídia é possível ter esse primeiro contato com as pessoas.

      Publicidade  

Isso com certeza vai muito longe, por isso, Sherryl Sandbergm diretora de operações do Facebook, confirmou a ligação de interesse no mundo religioso. Essa ligação envolve um duplo envolvimento de interesses, de um lado milhões de membros e a do outro, interesse financeiro.

Diante de toda essa situação, a igreja se beneficiará na pregação do evangelho através de uma grande rede social.

Deixe seu comentário de fé abaixo