Mãe de jornalista referido o ‘primeiro gay’ no Jornal Nacional, expõe sua opinião!

O jornalista Matheus Ribeiro vem sendo retratado na grande mídia como o “primeiro apresentador gay do Jornal Nacional”.

104

O jornalista Matheus Ribeiro vem sendo retratado na grande mídia como o “primeiro apresentador gay do Jornal Nacional”. Sua mãe, evangélica, no entanto, usou as redes sociais para rebater críticas e também a ênfase na sexualidade do filho.

Goiano, Matheus Ribeiro foi escolhido pela direção do principal telejornal da TV Globo para apresentar uma das edições comemorativas dos 50 anos de criação do Jornal Nacional. Logo, a militância LGBT passou a exaltá-lo como o primeiro homossexual naquela bancada.

De acordo com informações do portal O TV Foco, Ribeiro faz sucesso nas redes sociais entre o público LGBT, expondo inclusive seu relacionamento

O jornalista declarou que o tamanho da exposição de sua intimidade ultrapassou os limites que considera aceitáveis. E que deveria ser observado como mais um profissional na bancada do JN. E não como alguém que é reduzido à sua opção sexual.

Mãe de jornalista referido o ‘primeiro gay’ no Jornal Nacional, expõe sua opinião!

Manifestações de apoio e reprovação foram feitas nas redes sociais, e a mãe do jornalista – que se identifica como evangélica – decidiu defender o filho expondo os atributos que garantiram sua ascensão profissional.

Expõe a sua opinião, sobre o Filho

Kátia Cinele escreveu que a sexualidade do filho não tem maior importância para ela como mãe. Disse: “Acha mesmo que eu me sentiria ofendida com a sexualidade do meu filho diante de todo o orgulho que ele sempre me deu? Eu o amo e o aceito, não o julgo!”, declarou.

“E simplesmente por ser evangélica tenho um coração livre de preconceitos. As nossas relações com Deus são pessoais, cada um tem a sua. Portanto, eu posso orar pelos meus filhos e pedir as bênçãos de Deus na vida deles.

Mas não posso julgá-los, muito menos condená-los!. Acha que vou rechaçar meu filho, E fazer com que ele tenha uma vida sob os olhos de reprovação da própria mãe num aspecto que é pessoal?”, questionou Kátia Cinele.

Deixe seu comentário abaixo