Cristã assistiu à decapitação do marido, mas não perdeu a fé


      Publicidade  



      Publicidade  


As histórias de perseguição devido à fé são imensas, principalmente em países presos obrigatoriamente a uma religião apenas, ou por questões políticas anti religiosas. Nessa situação uma mulher assiste à decapitação do marido.

O ocorrido aconteceu em Moçambique, país mais ao sul do continente africano. Tanto a mulher cristã como o filho presenciaram todo o ataque à aldeia, deixando uma enorme tristeza todo o momento que vem às lembranças.

A mulher que passou por isso é Lorena, que presenciou não somente o seu marido, mas outros homens sendo mortos em sua frente. “Ela teve, assim como outras mulheres, de se deslocar para cidades vizinhas sem absolutamente nada”. (PA)

Cristãos perseguidos em Moçambique

O ataque surgiu por um grupo jihadista, que matou brutalmente os homens da aldeia, em 2021. Esses criminosos tinham ligação com o grupo jirradista Alshabaab.

      Publicidade  

Praticamente os habitantes da aldeia se mantém através da pesca, durante essa atividade foram atacados.


Publicidade


Pegos de surpresas não puderam fazer praticamente nada, foi algo marcante para as mulheres e crianças que estavam realizando as suas tarefas, quando de repente viram toda a situação aterrorizante.

“Embora as mulheres e crianças não foram mortas, passaram por torturas, tanto físicas como emocionais, ao serem obrigadas a verem pai, irmão e esposo sendo mortos”.(PA)

Essa situação aterrorizante deixou marcas profundas em sua vida, além da morte do esposo, que mantinha a família, agora ela tem que correr atrás de alimentar muitas crianças.

Embora abalada por todo o ataque surpresa à aldeia a alguns meses, Lorena não deixou de adorar a Deus, permanecendo confiante, crendo que somente ele sustém ela e os seus filhos. Jesus Cristo é o salvador, por isso ela confia nele e deposita sua esperança.

A fuga de Lorena e de outros não foi nada fácil, porque ficou 22 dias sem comer, porém se manteve firme acreditando que valeria a pena confiar que Deus de alguma forma ajudaria.

      Publicidade  

Pessoas de fé fazem toda a diferença em momentos de tribulação, porque sempre Deus age, surpreende pela forma de agir. Uma dessas maneiras foi através da Porta Abertas, que ajudou contando com ela, 4000 mil pessoas em situação fuga

Grupos de refugiados são muito comuns em países que estão passando por alguma crise política e perseguição religiosa. Por isso algumas entidades  de ajuda de várias denominações buscam fazer algo para auxiliar pessoas como a Lorena e sua família.

Quando trabalhos sérios, como esse, de ajudar milhares de pessoas são feitos, grandes coisas acontecem, o evangelho age através da fé.

Essa mulher de fé viu sentido em sua vida, apesar das dificuldades terríveis que estava passando. “Afirma que olhou para os seus filhos, imaginou como eles precisavam dela”.

O povo refugiado de Moçambique vem recebendo muita ajuda das portas abertas e de grupos religiosos locais. Essa união levou para estas 4.000 pessoas, bíblias, roupas, utensílios e muitas coisas necessárias no momento.

      Publicidade  

Essa região e outras precisam continuamente das orações de todos os crentes, para que a obra possa ser levada. Milhares de pessoas estão precisando de palavra de Deus, conforto, ajudas como alimentos, toda forma de apoio.

Lorena não é o nome real, tudo para preservar a sua identidade.

Deixe seu comentário de fé abaixo