China proíbe falar sobre Deus em sites e redes sociais


      Publicidade  


Quando o assunto é restrição religiosa, a China é uma das primeiras a aparecer na lista. O bom é que mesmo em meio a perseguição, várias pessoas estão sendo convertidas.

Uma das restrições que o governo chinês criou é a proibição de falar de Deus nas redes sociais. Essa forma de medida só prejudica a liberdade das pessoas, que poderiam estar vivendo com a liberdade comum que todos precisam.

“As medidas do governo chinês já havia tomado, era de que nenhum estrangeiro poderia evangelizar o povo pela internet” (Gospelmais)

China proíbe falar sobre Deus em sites e redes sociais

O Partido Comunista chinês (PCC) está por trás de toda essa ideia de barrar ao máximo a pregação do evangelho e até outras crenças no país. Dessa forma, é um jeito de controlar a mente do povo, assim fica mais perto de todo ideal ditatorial.

Para ter maior controle de todo povo cristão, os sermões devem ser visto pelo governo com antecipação, para ser aprovado ou não. Tudo isso acontece pelo grande receio de haver algum grupo no país que possa fazer alguma frente com o ideal comunista do governo.


Publicidade


Muitos cristãos falam que as coisas estão ficando cada vez piores no país, as restrições só estão aumentando.

Em setembro já havia medidas que restringiam o modo como era usada a internet. “Os sites religiosos deveriam ter uma permissão emitida pelo governo para melhor gerenciamento religioso, somente assim o conteúdo pode ser politicamente aceito”.(acidigital)

A China tem todo um processo de registro, onde toda a pregação online é proibida, com senhas de acesso a grupos específicos, cadastrado. Assim, a cada novo passo do governo, fica mais difícil a vida de quem deseja viver o cristianismo no país.

Há relatos da China Aid, que oferece apoio a cristão que estão sendo perseguidos. “Na província de Henan, por exemplo, cruzes foram arrancadas e diversas pessoas foram obrigadas a assinar e estarem se apostatando da fé”.(acidigital)

O governo chinês tem o seu relatório, onde está descrito como as 5 organizações autorizadas no país devem agir, tudo isso com pretexto de segurança.

      Publicidade  

Em seu relatório, o governo deixa claro que os serviços de informações religiosas na internet devem ser conforme o que o ditador estabelece. Essas 5 organizações são controladas pela política comunista do país, outras que vierem atuar são consideradas ilegal.

As restrições chinesas se estendem para escolas religiosas, onde somente os alunos da rede podem receber o conteúdo, porém uma pena é aplicada se houver alguma forma de divulgação religiosa para menores. A pena é perder a licença para atuar no país.

Todas as medidas tomadas na China são para cumprir as metas de Xi Jinping. Assim, permite que o controle da população fique mais fácil.

O país faz parte da janela de 10/40, região onde é maior a restrição da pregação do evangelho. A nação chinesa  conta com mais de 1,4 bilhões de pessoas.

Infelizmente a ideia socialista chinesa força os religiosos do país a se adequarem ao seu sistema de governo, restritivo, vigilante e ateu.

      Publicidade  

A China e países da região precisam de suas orações, elas estão sendo muito importantes para os cristãos da janela 10/40.

Deixe seu comentário de fé abaixo