Cerca de 200 radicais hindus invadem igreja doméstica na Índia e agridem pastor

Anúncios

A situação de perseguição ao cristianismo na índia é ruim e não de agora. Mais uma vez extremistas agridem cristãos e obrigam a seguir o hinduísmo.

Dessa vez, a ação ocorreu em uma igreja no lar, onde um grupo radical, como cerca de 200 extremistas ultranacionalistas invadem o lar durante os momentos de adoração. Aconteceu no leste da Índia, no estado de Chhattisgarh.

“O grupo agiu violentamente contra o pastor agredindo ele e pelo menos mais outros dois cristãos”. (The Christian Post)

Cerca de 200 radicais hindus invadem igreja doméstica na Índia e agridem pastor

Arrastado violentamente para fora, o pastor Hemanth Kandapan não teve como fazer nada diante de uma turba enfurecida.

A turba forçou a todos para que se convertessem ao hinduísmo. Eles são considerados um grupo ultranacionalista, que não aceita nenhuma outra religião no país. Liderados por Sanjith Ng, não exitaram em invadir a reunião de adoração, na vila Odagoan, no distrito de Kondagaon.

Anúncios

O pastor e o membro agredido foram internados devido aos graves ferimentos que sofreram. Não bastando terem tido tanta violência com eles, advertiram o restante dos membros, ameaçando de morte, caso continue com as reuniões.

“Ele relata que ficou preso em sua própria casa durante nove horas.Período em que foi carregado de insultos e abuso por toda a turba, os polícias do local não os intimidavam”.

Na segunda-feira passada, nesse mês de janeiro, uma mulher e outros cristãos foram obrigados a assistir um culto hindu pelo grupo Vishwa Hindu Parishad (Conselho Mundial Hindu).

A mulher, chamada Sunderi Bathi, foi obrigada a se converter contra a própria vontade ao hinduísmo. Essa situação está cada vez mais comum, devido à falta de liberdade religiosa. Um dos países que está sempre nos noticiários, pela perseguição aos cristãos, principalmente os convertidos do hinduísmo.

Depois do ano de 2020, quando foi lançada uma campanha contra a conversão de pessoas tribais e indígenas, a situação piorou. Os grupos extremistas pressionam o governo, para que retire do convertido alguns benefícios sociais, educação e até emprego, caso alguém se torne cristão. Esse é um dos motivos do aumento da perseguição na índia.

Anúncios

Esse conflito que existe na índia parece não ser apenas uma questão de hinduístas, mas grupos, muitos, aliás, que não se dizem hindus, mas o governo assim os classifica.

“A Índia não possui apenas hindus, mas pessoas que adoram a natureza, e para vários deles o cristianismo é um problema”.

Em 2020, aconteceram invasões parecidas, como na situação do pastor, na mesma região. A ação foi bem elaborada, para pegar os cristãos de surpresa em suas casas, forçando muitas mulheres a fugirem, buscando se protegerem.

Atacaram a mesma tribo de cristãos, muitas dessas ações são passadas por alto pelo governo. Essa atitude é algo terrível para os cristãos do país, que são apenas 2,3% da população, enquanto os hindus são 80%.

A minoria dos povos pertencentes a outras religiões, sofrem no país. Os grupos tribais extremistas tendem a colocar a culpa dos problemas  nos conversos ao cristianismo ou islamismo.

O povo convertido busca manter a fé diante de toda a pressão que sofre e pela falta de proteção das autoridades.

Deixe seu comentário de fé abaixo